Tem que ter bom senso, pelo menos, né?

Esta é a frase que mais vem carregada de preconceito e segregação. É com ela que o cara diz “você pode ser gordinha, mas tenha bom senso”, “você pode ser baixinha, mas tenha bom senso”, “você pode ser negro, mas tenha bom senso”. Bom senso, em outras palavras significa “Seja gostosa e cubra-se dos pés à cabeça. Então eu te aprovarei” ou então “Ponha-se em seu lugar e te respeitare”. A pergunta é: Eles precisam mesmo aprovar alguma coisa? Alguém no mundo ainda acredita que exista “lugares” definidos para um ou outro tipo de gente? Seja pela cor, pelo peso, pela sexualidade ou pelo que for, a sociedade deveria ser igualitária, deveria tratar a todos com igualdade, não com discriminação.

Comecei a escrever este texto quando a namorada de um amigo meu postou esta foto abaixo no Facebook.

Embora ela estivesse postando a imagem justamente para quebrar esse paradigma, que só se pode fazer Cosplay quem é “perfeito”, algumas pessoas ainda comentaram a foto, com termos pejorativos e com ofensas, umas menos e outras mais intensas, esquecendo-se de que o fator principal, não só para cosplay, mas para a vida, é diversão.

O mais incrível é que ninguém consegue admitir que tem preconceito e quando assume não o faz no esforço de mudar o fato, faz apenas na tentativa de neutralizar a culpa. É como aquelas pessoas que dizem “Eu sei que isso é machismo, mas mulher tem mais é que ficar na cozinha”. O fato de você afirmar ser um idiota não te faz ser menos idiota, nem tira o mérito de sua idiotice. Ele é só seu e ninguém pode tirar de você. Não que seja um prêmio, mas com certeza é um fardo que ninguém quer carregar junto com você.

Mais engraçado é ver o termo “bom senso” ser cunhado como um termo comparativo, como se as pessoas pudessem se pautar em alguma coisa para avaliar o seu bom senso. Não há uma cartilha de “bom senso”, onde as pessoas podem olhar nela, avaliar suas ações e dizer “é, eu estava sendo sem noção”. Mesmo no ramo da moda, que é um ramo milionário, que vive às custas de cartilhas, sempre temos o prazer de vermos os deslizes avaliados por “especialistas do ramo”. Até onde eu sei não existem especialistas do ramo do bom senso, exceto os membros da Patrulha do Bom Senso.

Engraçado é que normalmente estes Otakus, roqueiros, fãs de HQ são os mais escurraçados pela sociedade. São os que são chamados de loucos, de fanáticos, de crianças, e ao invés de se unirem e lutarem contra este preconceito eles criam um preconceito dentro do preconceito, um Inception de preconceito. Imagine só uma pessoa que não se encaixa em gênero nenhum da sociedade atual. Uma pessoa que não curte balada, que não curte praia, que não curte todas essas diversões genéricas e não curte beber. Mas essa pessoa tem um gosto muito peculiar, um gosto por quadrinhos, por exemplo. Ela se refugia nesse hobbie. Ela se refugia na certeza do entendimento dos amigos, na certeza de que eles, por também sofrerem preconceitos, saberem como é viver aquilo na pele e provavelmente não farão o mesmo com ela. Imagine só a decepção dela ao ver que ela está “acima do peso”, ou é “negra demais”, ou “não tem olho azul”, ou seja lá qual a outra coisa que estes grupos procuram.

Até quando as minorias vão continuar tratando os membros delas como elas são tratadas pelos membros da sociedade em geral? É questão de sobrevivência. Não estou falando só para os Otakus agora, estou falando para todos os membros de minorias sociais. Dos Roqueiros, dos RPGistas, dos fãs de Tenchy Muyo (ainda hão de inventar anime mais chato do que esse).

Parem de repetir padrões. Leiam, estudem, aprendam. Ser burro é o que a sociedade quer. Você não quer lutar contra ela? Não quer mostrar para o pai da sua namorada (que você vai fugir com ela, segundo o Fantástico) que você vai ser um HOMEM, ao invés de um moleque? Então, estude. Ou você acha que enviar um texto cheio de erros de português para o seu futuro sogro vai te colocar em um trono?

Por conta dessa sociedade machista a preconceituosa, sabe o que acontece? Uma sexualização exagerada de qualquer coisa. Qualquer personagem “fica melhor” em uma micro roupa e um decote monstruoso, mesmo que ele fuja completamente do estilo real do personagem. Essa sexualização de TUDO precisa chegar a um fim, ou pelo menos em uma conscientização maior de que ou você faz aquilo porque você gosta, ou você faz aquilo porque você precisa ser aceita. Dentro de um grupo do qual vive reclamando de ser excluído da sociedade.

No fim das contas tudo passa a ser sexo. Tudo gira em torno da sexualidade, da objetificação das pessoas, sejam homens ou mulheres. E nossa sociedade cada vez mais radical, torna-se cada vez mais segregadora e cada vez menos prioriza a diversão. A não ser que para você diversão seja sair com os amigos, beber, comer todas e voltar pra casa vomitando, isso tudo você tendo, sei lá, 13 anos.

É fácil saber quando você está ou não cometendo um erro. Tenha bom senso.

Anúncios

9 comentários

  1. Esse é um daqueles posts que eu gostaria de ter escrito. 😉

    Mas acho corajoso quem tem a cara de, pelo menos, admitir que é idiota. Errar todo mundo erra, e admitir isso é um passo pra tentar consertar.

    1. A questão é que na maioria das vezes a pessoa não admite com culpa, admite só pra não ficar feio. Do que adianta eu admitir que sou machista e bater na minha mulher, por exemplo? Admitir vai diminuir o erro?

      1. Compreendo, e você levanta um ponto importante. Admitir é um primeiro passo, não o único. Sou preconceituosa com muita coisa, admito isso e me policio para tentar mudar. Porque se a gente não começar, a coisa nunca anda.

      2. Mas a questão é diferente. Admitir e corrigir é uma coisa, ou pelo menos tentar corrigir. Admitir e cometer o erro continua sendo ignorância. Como falei no exemplo, dizer “Sei que isso é racista, mas fulano X tem cara de favelado” não diminui meu crédito em ser idiota.

  2. Um amigo meu um vez chegou pra minha pessoa e falou “todas as pessoas são preconceituosas”. No primeiro momento discordei, mas parei pra pensar e vi que ele tinha razão. Todo mundo tem preconceito com algo e esse caso ai é apenas só mais um.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s