Crentes, expliquem-se, por favor!

Antes de mais nada, quero deixar claro que a intenção deste post não é ofender ou atacar gratuitamente os cristãos. A intenção é debater e discutir de forma saudável o porque de certas coisas que tanto me incomodam, sendo, portanto, um post sobre experiências pessoais. Logicamente que haverão exceções e eu já peço desculpas por ofender uma ou outra pessoa, sem querer. Obrigado.

Não é de hoje que eu venho observando certas práticas dos filhos de Deus e certas formas de interpretação de seus mandamentos. Não é o fato de pregarem a paz que me preocupa, o que me preocupa é pregarem uma coisa e viverem outra.

Cada observação aqui foi feita com base no que eu venho observando todo este tempo, tendo total certeza de que muitas pessoas (inclusive critãs) compartilham do mesmo pensamento.

Vigília

Esta é uma das práticas que mais me irrita. Não tenho nada contra pessoas que viram a noite fazendo aquilo que gostam. Seja louvar ao Senhor, seja jogar CS na LAN House da esquina ou seja se prostituindo no calçadão de Copabana. Eu realmente não tenho nada a ver com as preferências e práticas de ninguém, exceto quando elas começam a me dizer respeito.

Se isso estiver lhe satisfazendo, não há ninguém no mundo que possa reclamar. A não ser o vizinho que está sendo incomodado.

Em minha vida, já morei próximo de muitas igrejas e todas elas, por incrível que pareça, partilhavam do mesmo princípio: Pregamos o respeito, mas damos a mínima para o nosso vizinho.

Nem falo dos cultos em alturas exorbitantes durante a semana. Tal qual um show de Rock, eu imagino que seja gratificante para eles louvarem e cultuarem ao Senhor enquanto o som se espalha pelo ambiente. Eu realmente entendo o porque da altura dos cultos durante a semana. Se eu fosse crente, eu faria o mesmo.

Levemos em conta que diante da lei do silêncio, isso seja permitido. Cantar acompanhados por bateria, pandeirola e uma senhora com péssimo dom para cantar. O problema é quando eles resolvem fazer o mesmo tipo de barulho às 2 da manhã, sem, nem ao menos, procurar saber com os vizinhos se há alguém doente ou alguém que se oporia ao som durante a madrugada.

Sem se preocupar com o vizinho com dor de dente, com o filho pequeno da vizinha ou com um senhor doente precisando de cuidados (no caso da casa da minha sogra), eles ligam as caixas de som na maior altura e começam a entoar os cânticos que tanto amam. Será mesmo que é pedir demais que as pessoas que pregam o respeito pratique o que prega? É pedir demais que possam nos deixar dormir (ou jogar CS) em paz?

Não há problema em um grupo de pessoas cantando. Ainda que possa ser incômodo, é bem menos incômodo do que um grupo de pessoas tocando instrumentos feitos pelo diabo (guitarra, no caso).

Um dos muitos argumentos que os cristãos usam quando questionados sobre isso é “Se fosse um pagode, você não reclamaria”. Mesmo depois de dizer infinitamente que a resposta seria “sim, eu reclamaria”, eles continuam afirmando “Se fosse macumba ninguém reclamaria, é perseguição aos crentes bla bla bla”.

Caros amigos, vamos supôr que seja realmente uma verdade. Vamos supôr que nós só reclamemos dos crentes. Quantas vezes um pagodeiro/magumbeiro/funkeiro já pregou o RESPEITO para você? Quantas vezes estas pessoas já disseram que é importante RESPEITAR o próximo como se respeitasse a si mesmo? Não são vocês a raça perfeita e que dominará a Terra? Não são vocês que estão na Terra para nos mostrar como é ser alguém bom, como é dar a cara a tapa e como é bom servir ao Senhor? Então porque não começarem por vocês na hora mostrarem respeito e como se faz no modo “cristão” da coisa, ao invés de entrar em uma briguinha infantil de “quem canta mais alto”?

Ao meu ver, ao meu humilde ver, se os crentes pregam o respeito e a paz entre as pessoas, eles deveriam ser os primeiros a respeitarem e promoverem a paz, se preocupando e cultivando o bem entre os vizinhos, não criando conflitos e cantarolando até altas horas, só porque “deus é por vocês e ninguém pode ir contra vocês”.

Se eu entendo um pouco de religião e de Bíblia, se você estiver errado, Deus é o primeiro a tirar a benção divina de sua cabeça.

Cultos ao ar livre

Outra coisa que me incomoda profundamente, mas eu já aprendi a ignorar é o fato de que os cristãos precisam mostrar ao povo o seu testemunho. Isso está escrito na Bíblia e eles precisam levar isso ao pé da letra (respeito não, mas isso daí, sim).

Aí você acorda 4 horas da manhã, depois de teu filho ter ficado chorando a noite toda com dor de dente, você consegue lutar muito no ponto final do ônibus para conseguir um lugar sentado no ônibus, para só então, poder relaxar alguns minutos até chegar ao seu destino. Exceto que…chega o cristão e seu momento de “sabedoria divina” e resolve partilhar suas experiências de quando ele era estuprador/bandido/assassino.

Fico imaginando em que situação ele acha que é mais propensa a se pregar. Será que eles olham para o lado e observam quantas pessoas estão dormindo. Se o número de pessoas dormindo for maior do que pessoas acordadas, é hora do show. Aí levantam e começam.

Meu único problema com isso é o fato de que eu acho muito errado você pregar para quem não quer te ouvir. Se eu vou em uma Igreja, é exatamente isso que eu quero ouvir, a pregação. Se eu vou em um show gospel, é exatamente o que eu quero ouvir, pregação. Se eu pego um ônibus e quero dormir, a última coisa que quero ouvir, é a pregação. É difícil raciocinar assim?

Quando você contesta, eles utilizam o mesmo argumento de sempre “se fosse um macumbeiro, você reclamaria?”. Porra, então quer dizer que eu posso matar, estuprar e roubar e no fim dizer “Se fosse um filho da puta qualquer, tu reclamaria?”. Dizer que outras pessoas fazem e você só faz baseado nisso, é admitir uma culpa gigante de um problema, porque se fulano faz e você também faz por isso, você é mais imbecil que fulano, afinal, ele faz sem saber o que está fazendo, você faz porque não tem mais o que fazer e acha certo errar e botar a culpa no outro, que também está errando.

Aí, criam leis impedindo-os de pregarem dentro dos vagões do metrô, por exemplo, e eles alegam perseguição. Alegam que os governantes estão contra eles. Não é minha culpa que os governantes estejam no poder em busca da destruição do povo e não proíba TAMBÉM os funkeiros, axézeiros e macumbeiros de fazerem zona em locais públicos. Para mim, toda e qualquer pessoa que perturbe a paz, seja falando de paz ou falando de guerra, está quebrando o principal mandamento de Deus: Respeite o próximo (tá, eu sei que o principal mandamento é amar a Ele, mas estamos falando de outra coisa aqui. Pare de ser chato e volte ao texto). A diferença é que não faz diferença para um funkeiro/pagodeiro/axézeiro quebrar um dos mandamentos de Deus, afinal, eles não estão nem aí para isso. Agora, você que é o portador da palavra do Senhor na Terra é o primeiro a quebrar os mandamentos d’Ele, tem alguma coisa de muito errada nisso.

Ninguém é ateu e todos estão errados

Este é um pensamento complicado, não sei se vou conseguir expressar em palavras, mas é um fato comprovado que nenhum crente acredita que exista algum ateu e que todos os outros adoradores de deuses pagãos, estão errados. Chegam ao cúmulo de afirmar que “ateu acredita em Deus, porque para negar a existência de algo, você precisa aceitar que ele existe”. Bem, é um pensamento avançado demais para nossas mentes, mas um dia espero que todos entendam.

É o seguinte. Por mais engraçado que possa ser rir da minha ignorância quando falo que não acredito em Deus, é igualmente engraçado o fato de você falar que acredita. Você ri quando eu acredito na ciência e eu rio de você acredita em contos de fada. Eu não tenho problema em acreditar em algo, caso isso me seja provado, só não consigo entender como algumas pessoas conseguem crer em algo ilusório.

Pois bem, a discussão não é essa.

O que me deixa com raiva é que os crentes pregam que a religião dele é a verdadeira, sendo que todos os argumentos que eles possuem, os Gregos também possuem, os candomblecistas também possuem e os Kardecistas também possuem. Não há como provar que um ou outro está mentindo (afinal, não há como provar algo que não é palpável), nem como medir e afirmar a fé de ninguém. Se você está satisfeito com a sua fé, deixe que os outros também estejam satisfeitos com a fé deles (ou a falta de).

Como o texto já está grande, vou parar por aqui e deixar vocês refletirem em cima disso. Quando estiver com disposição, eu faço a segunda parte do texto e voltamos a discutir.

Abraço.

Anúncios

2 comentários

  1. Deus é surdo por isso tem que rolar as alturas.
    Se você não for da mesma religião que eles é um pecador!
    Bando de ex, igreja de ex, isso que eles são.
    Ainda bem que aqui próximo a minha casa não existe uma igreja incomodando se não iria fazer a vida deles um verdadeiro inferno.

  2. Debater com crentes fanáticos é perda de tempo, para um crente ele nunca esta errado, não importa o que você fale. Qualquer outra religião é demônio, sem exceção, só a dele é de Deus o resto TODOS são demônios, e na verdade, o local onde o demônio + gosta de frequentar é a igreja crente, todo culto sempre um demônio vai lá fazer uma visita, comédia…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s