Mentir nunca foi meu forte

Eu nunca fui bom em mentir. Nunca consegui criar histórias me envolvendo em grandes confusões e nunca consegui manter por muito tempo as mentiras que eu criava. Ou minha cara entregava tudo ou eu ia acrescentando coisas até se tornar impossível levar a sério.

Se eu contasse que viajei para Minas Gerais e todos acreditassem, eu dizia, logo em seguida, que nesta viagem eu encontrei um esqueleto de um dinossauro raro e que meu nome foi parar nos livros de história. Nesse caso não era muito difícil que as pessoas percebessem que eu estava mentindo.

Mesmo sendo um jogador de RPG, mentir não fazia parte da minha rotina. Claro que jogadores de RPG são como atores, conseguem convencer quando dentro de um contexto, mas quando fora dele, o jogador se vê dentro de um mar de ética e acaba não sendo capaz de mentir. Claro que muita gente faz parte das exceções.

Aí veio a internet e a mentira começou a ser a base da vida de muita gente. Inclusive da minha.

Eu não mentia como forma de vida. Eu não mentia para prejudicar. Eu mentia apenas para me divertir. Era como uma espécie de trote, dado sem inocência em pessoas incautas.

Eu entrava em salas de bate papo com o objetivo de ser alguém que eu não era. Uma vez eu era astronauta, outra vez eu havia nascido na Dudinka. Poucas vezes as pessoas acreditaram em mim. Em alguns minutos de contradições elas já percebiam que eu estava mentindo.

Um grande amigo meu, iludido pelo poder da internet, começou a espalhar para meio mundo que ele iria conhecer aquela que viria a ser sua nova namorada. Uma menina que ele havia conhecido na internet e que suas riquezas ultrapassavam em muitos dígitos a riqueza do nosso amado Eike Batista. Para provar que sua amada era de verdade, este amigo até lhe solicitou uma foto. Dali em diante, ela ficou conhecida para nós como “A garota do Shampoo”.

Sabe aquelas modelos que não são famosas e que nunca serão? Aquelas que eles criam em laboratório, ou no photoshop, apenas para ilustrar um novo frasco de algum shampoo? Então, assim era sua namorada.

Inclusive, este virou um de nossos bordões, quando alguém dizia ter uma namorada mas esta ainda era uma incógnita para nosso grupo.

Diante de nossa incredulidade, este nosso amigo afirmou com veemência que sua nova namorada enviaria um helicóptero para buscá-lo em casa.

Assim, não há como garantir o que vou afirmar agora, mas posso dizer, com 100% de certeza que este meu amigo deve estar esperando o helicóptero até hoje, porque nunca o vimos afirmar algo daquele jeito.

Essa namorada do meu amigo é como muita gente da internet. Mente até onde não consegue ir mais. Quando eu percebia que minha mentira ia por água abaixo, eu deixava de lado e falava a verdade. Meu objetivo não era ser quem eu afirmava ser, era fazer com que alguém pensasse que eu fosse.

Outro amigo, tolo, devo dizer, que será chamado apenas de “Pacheco”, para evitar problemas em sua vida, era um rapaz ótimo, bom amigo, criativo (até demais), simpático e muito gentil, porém, Pacheco sofria de um problema muito grave em homens como ele, a inocência. Pacheco nunca saiu muito de casa, então era fácil acreditar em coisas que ele julgava ser verdade.

Pacheco era do tipo que gastava dinheiro real para ter armas e equipamentos mais “fortes” em jogos de computador. Ao invés de comprar em uma loja ou algo assim, ele subornava os responsáveis por manter o jogo para ganhar privilégios diante dos outros jogadores. Além disso, Pacheco adquiriu o costume de enviar dinheiro para uma namorada que morava em outro estado, com o objetivo da mesma comprar passagens para vir morar com ele. Sim, eles iam se casar. Ou algo perto disso.

Não foi preocupante a cerimônia, já que ela nunca existiu. Essa namorada do meu amigo, o informou que não poderia ir porque o pai dela descobriu e gastou todo o dinheiro dela, impedindo-a de ir, A NÃO SER QUE ELE ENVIASSE A MESMA QUANTIA DE NOVO.

Garota tola, né? Na verdade, não. Pacheco voltou a juntar a mesma quantia para enviar o dinheiro para ela. Juro que depois dessa situação, eu comecei a repensar em onde as mentiras na internet podem levar. Algumas pessoas realmente não sabem a hora de dizerem a verdade e muitas começam a gostar de mentir e levam isso como forma de vida, afinal, por que uma garota iria trabalhar se ela podia ficar o dia inteiro na internet convencendo seus namorados de enviarem dinheiro para ela?

Isso me lembra o fato de um outro amigo meu, em jogos online como Ragnarok, criar personagens femininos com a intenção de obter itens e ajudas que homens jamais receberiam em terrenos como aqueles. Incrível como o poder de uma vagina é grande no mundo online. E isso nem fica só no mundo de jogos online não, em qualquer lugar as mulheres são mais “bem tratadas”, na esperança de que ela perceba o quão foda você é e resolva dar para você. Assim, simplesmente por ter lido algo que você escreveu.

Se você é uma dessas pessoas, cuidado, tenho amigos que estão se passando por mulher em locais escuros da Rodovia Dutra para conseguir uma grana extra enquanto não conseguem emplacar suas atividades de cosplayer. Se eu fosse você (ou o Ronaldinho), tomaria mais cuidado nestas investidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s