Minha primeira ida ao cinema

Essa é de muito tempo atrás. Tanto tempo que eu não saberia dizer ao certo a época em que isso ocorreu, mas se eu fizer uma rápida visita ao Google, com certeza consigo descobrir. Querem ver? Ok, aguardem um minuto.

Pronto, eu tinha 9 anos.

Continuando.  Como vocês já devem saber, eu tenho uma renca de irmão. Tenho 4 irmãos e 1 irmã (e estou ignorando toda e qualquer competição do tipo “eu tenho mais irmãos que você”) e todos eles sempre foram bem próximos de mim, principalmente quando eu era pequeno, já que era difícil resistir aos encantos juvenis de meu sorriso. Ainda o é, mas hoje em dia já não é tão juvenil assim.

De todos os irmãos, os dois mais próximos de mim quando eu era pequeno, eram o Cleber e o Jorge Luiz. Tá, é mentira. Na verdade eles são os mais velhos (dos homens) e aí começaram a trabalhar primeiro, podendo assim, me dar alguma renda diária, como moedas, troco de alguma coisa e por aí vai.

Lembro sempre que quando o Jorge Luiz chegava em casa eu ia até ele pedir uma “esmolinha”. Era exatamente assim que eu pedia, ia me arrastando até ele, como um mendigo moribundo e pedia alguns trocados. Na maioria das vezes ele dava, de bom grado.

Com o Cleber eu não lembro de nenhuma situação deste tipo. Ele sempre foi mau encarado, pode ser que isso tenha frustrado minhas tentativas de pedir algum dinheiro para meu querido irmão.

Acontece que em algum momento da vida do Cleber, seja lá por qual tenha sido o motivo, ele resolveu que faria uma caridade ao mundo. Resolveu que me levaria ao cinema.

Eu NUNCA tinha ido ao cinema (foda-se que você já, eu era pobre pra caralho e minha família contava com 8 bocas) e aquele era um luxo que, possivelmente, eu só teria quando fosse bem mais velho. Nunca havia imaginado que o “sonho” seria realizado sem esforço algum.

Eu não havia pedido, eu não havia esboçado a menor das reações em relação aos filmes. Na verdade, assim como na vez do elevador, eu nem sabia o que era um cinema, a não ser pelo que via nas histórias da Turma da Mônica.

Qual vez do elevador?

Pois bem. Houve uma época em que eu era muito pequeno. Menor até do que o que você chama de salário. Na verdade, nem sei minha idade quando isso aconteceu.

Sei que havia saído com a minha mãe, para algum lugar alheio à história neste momento, e entramos em um elevador lotado. O elevador era realmente um meio de transporte eficaz dentro daquilo que se propunha, daí a minha confusão quando fiz a pergunta crucial para minha mãe, em voz alta e clara:

– Mãe, isso daqui é um trem?

Todos riram da minha cara, minha mãe não sabia onde enfiar a dela e ficamos os mais longos minutos dentro daquele recinto enquanto, vez ou outra, alguém ainda dava uma risada contida para não me envergonhar mais.

Voltando a história original.

Cleber havia me convidado, por vontade própria, para ir ao cinema. Lógico que eu aceitei. Eu sempre fui tímido para aceitar coisas que as pessoas me davam (sou até hoje), mas não é todo dia que você recebe um convite que vai mudar toda a sua vida, né?

No dia combinado, fomos, Cleber e eu, ao cinema. Por fazer muito tempo, não lembro em que cinema foi, mas lembro claramente quando a mulher da bilheteria disse, em altíssimo tom, que “as sessões já estavam esgotadas e a última sessão já estava na metade”.

Meu coraçãozinho espedaçou-se, embora eu nem soubesse o significado das coisas que ela falou. Meu irmão, preocupado com o trauma que poderia causar em mim, curvou-se bem pouco (ele é baixinho demais pra precisar se curvar tanto pra falar com uma pessoa de 9 anos) e disse “Vamos fazer assim. Vamos entrar e ver este que está passando, outro dia, quando eu puder, eu te levo pra ver outro filme. Pode ser?”

Eu tinha 9 anos. Não sabia nem o que estava aceitando naquele momento, mas concordei com a cabeça e entramos para ver o filme que estava passando.

É impossível descrever a sensação que tive naquele momento. Era como se um mundo inteiro de possibilidades estivesse se abrindo para mim.

Eu realmente não lembro da disposição das cadeiras, mas lembro exatamente a cena que se passava naquele imenso telão à minha frente. Um enorme leão deitado sobre a grama, um suricate e um javali (ou porco). Sim, caros amigos, o primeiro filme que vi (pela metade) no cinema foi O Rei Leão.

Você pode dizer que o seu primeiro foi Star Wars, ou que foi O Poderoso Chefão, mas nenhum deles, e eu digo nenhum com total propriedade, se comparará um dia ao que é O Rei Leão.

O filme foi incrível. Até hoje eu vejo, quando não estou vendo Tropa de Elite, e até hoje sei as falas. Durante boa parte da minha adolescência eu vi O Rei Leão e lembrei dessa cena do meu irmão me levando ao cinema.

Para recompensar, já que pegamos o filme pela metade, ele resolveu me levar de novo. Dessa vez pra ver um outro filme que também estava em cartaz na mesma época. Eu gritei, vibrei e aloprei incansavelmente enquanto eu via o filme…Ah, como era doce a minha ingenuidade frente ao que eu estava vendo.

Toda primeira vez tem altos e baixos

Anúncios

6 comentários

  1. “mãe isso aqui é um trem?”
    Acho que eu vou ficar um mês rindo disso! lol

    Eu não lembro qual foi o primeiro filme que eu assisti quando era mlk, mas certamente foi algum filme dos trapalhões, minha mãe sempre levava eu e meu irmão e ela ficava puta pq o próprio sempre dormia no cinema e não assistia nada.
    Meu irmão tinha o VHS do Rei Leão, e ele também assistia sempre e eu por tabela, também sabia todas as falas!
    Agora depois de grande eu tenho como lembrança quando eu assisti Jurassic Park.
    Eu sempre gostei de ir no cinema, quando eu ainda estava no colégio eu sempre ia, era muito mais barato, ia toda semana e tinha dias que assistia vários filmes um atrás dos outros!

  2. Caraaaca, emu 1º filme no cinema tbm foi O Rei Leão, e eu tambéeem peguei pela metade. Só que eu fui espertinha, fiquei dentro do cinema até a próxima sessão, e consegui ver o comecinho, rsrs
    Adorei a história do trem, rsrs

  3. Não lembro qual foi meu primeiro filme no cinema. Como sou velho, pode ter sido algum dos Trapalhões ou um desenho muito antigo da Turma da Mônica…

    …vi Rei Leão no cinema com meu pai, irmão mais novo (na época, atualmente ele é o irmão do meio – pode ter sido o 1o filme dele -) e um amigo. O filme é realmente bom e emociona até hoje.

  4. Mais uma vez me fazendo refletir com suas postagens.
    minha irmã até hj me diz: irma,lembra qnd vc me levou a minha primeira vez no cinema e nos assistimos o hulk ? e eu me limito a responder : aah como lembro!!
    abraços sumido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s